(61) 3223-2161

9h00 - 18h00

Sindicatos das agências e dos publicitários orientam para o cumprimento das regras de retorno às atividades publicadas pelo GDF

Decreto do GDF que determina retorno aos escritórios foi publicado na última sexta, 23/05.
(Crédito: Pexels)

O Sindicato das Agências de Propaganda do Distrito Federal – SINAPRO e o Sindicato dos Publicitários de Brasília – SINDPUB orientam as agências e profissionais brasilienses para o cumprimento das normas do Decreto GDF n° 40.817/2020 que dispõe sobre a autorização para retorno das atividades econômicas no Distrito Federal a partir do dia 26 de maio de 2020.

Orientamos que a retomada das atividades em seus escritórios se faça de forma gradual e consciente, garantindo o cumprimento das exigências administrativas e sanitárias estabelecidas pelo governo elencadas no ANEXO I deste comunicado.

Nesse sentido, para as agências que optarem pelo retorno de suas equipes para seus escritórios é importante o cumprimento de todos os protocolos contidos na referida norma, em especial:

  • Horário de funcionamento das 9h00 às 17h00;
  • A proibição do retorno de pessoas incluídas no grupo de risco;
  • Aferição e registro da temperatura de todos os empregados para disponibilização aos órgãos fiscalizadores;
  • Impedimento da entrada nos escritórios de pessoas em estado febril (temperatura igual ou superior a 37,3°C) e encaminhamento à unidade de saúde de referência;
  • O empregado, colaborador, terceirizado e prestador de serviço, que apresentar sintomas da COVID-19 deve ser orientado a permanecer em isolamento domiciliar, pelo período de quatorze dias, exceto se apresentar resultado de exame laboratorial que comprove ausência de infecção.

Ainda assim, é importante que as agências avaliem as demandas e as especificidades das necessidades de seus clientes caso a caso, para que, se possível, mantenham suas equipes em regime de teletrabalho de forma a reduzir a quantidade de pessoas em circulação. Tal recomendação visa contribuir para a priorização de circulação de pessoas ligadas a outras atividades comerciais que precisam ser realizadas obrigatoriamente de forma presencial.

Entendemos que o momento ainda demanda atenção e cuidado da sociedade em geral e de todas as empresas do mercado publicitário do Distrito Federal, visto a excepcionalidade do enfrentamento à crise sanitária. Portanto, o cumprimento consciente das medidas contribuirá para a atenuação aos impactos sociais e econômicos.

Sindicato das Agências de Propaganda do Distrito Federal

Sindicato dos Publicitários de Brasília


ANEXO I

EXIGÊNCIAS ADMINISTRATIVAS E SANITÁRIAS

  • Garantir a distância mínima de dois metros entre as pessoas;
  • Utilização de equipamentos de proteção individual, a serem fornecidos pelas empresas, por todos os empregados, colaboradores, terceirizados e prestadores de serviço;
  • Organizar uma escala de revezamento de dia ou horário de trabalho entre os empregados, colaboradores, terceirizados e prestadores de serviço;
  • Proibir a participação nas equipes de trabalho de pessoas consideradas do grupo de risco, tais como idosos, gestantes e pessoas com comorbidades consideradas essas conforme descrito no Plano de Contingencia da Secretaria de Estado de Saúde através do sítio: http://www.saude.df.gov.br/wpconteudo/uploads/2020/02/Plano-de-Continge%CC%82ncia-Coronavirus-versa%CC%83o-5-1.pdf;
  • Priorizar, no atendimento aos clientes, o agendamento prévio ou a adoção de outro meio que evite aglomerações;
  • Disponibilizar álcool em gel 70% a todos os clientes e frequentadores;
  • Manter os banheiros e demais locais do estabelecimento higienizados e com suprimentos suficientes para possibilitar a higiene pessoal dos empregados, colaboradores, terceirizados, prestadores de serviço e consumidores;
  • Utilizar máscaras de proteção facial;
  • Aferir e registrar, ao longo do expediente, incluída a chegada e a saída, a temperatura dos empregados, colaboradores, terceirizados e prestadores de serviço, devendo ser registrado em planilha, na qual conste nome do funcionário, função, data, horário e temperatura, que deve esta disponível para conhecimento das autoridades de fiscalização;
  • Quando constatado o estado febril ou estado gripal do empregado, colaborador, terceirizado e prestador de serviço, deverá ser impedida a sua entrada no estabelecimento, orientando-o a procurar o sistema de saúde;
  • O estado febril é caracterizado pela temperatura igual ou superior a 37,3 °C. § 3º O empregado, colaborador, terceirizado e prestador de serviço, que apresentar sintomas da COVID-19, deverá ser orientado a permanecer em isolamento domiciliar, pelo período de quatorze dias, exceto se apresentar resultado de exame laboratorial que comprove ausência de infecção pelo novo coronavirus.

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Assine Nossa Newsletter

Receba em primeira mão, no seu e-mail e celular, Informações de valor para o marcado.